Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940
Email: siteluzdoislam@gmail.com

Hierarquia dos Artigos
Início dos Artigos » O Alcorão Sagrado » Capítulo 13, Ar Ra’d (O Trovão)
Tamanho da Fonte
Capítulo 13, Ar Ra’d (O Trovão)

Descrição: Um capítulo lidando com fé, com foco no profeta Muhammad ser de uma longa linhagem de profetas cuja missão foi transmitir a mensagem de Deus.  É Deus quem chamará as pessoas para prestarem contas.

Por Aisha Stacey (© 2018 IslamReligion.com)

 

http://cdn.wonderfulengineering.com/wp-content/uploads/2016/07/lightning-wallpaper.jpgA maioria dos sábios concorda que o Capítulo Treze foi, exceto por uns poucos versículos, revelado em Meca.  Recebe o nome do trovão mencionado no versículo treze.  É um capítulo poderoso e comovente que apela ao coração, enquanto faz uso da lógica e razão.

Versículos 1 – 4 Onde está Deus?

Esse capítulo abre com uma combinação de letras, Alif, Lam, Meem e Ra.  Somente Deus sabe o significado verdadeiro dessa combinação e por que 29 capítulos do Alcorão começam de maneira semelhante.  Deus nos lembra de que o Alcorão foi revelado ao profeta Muhammad, que a misericórdia e bênçãos de Deus estejam sobre ele.  É a verdade, embora a maioria das pessoas não creia.   Deus criou os céus. Estão acima de nós sem qualquer meio visível de suporte.  Então Ele Se estabeleceu acima dos céus em Seu trono.  Criou o universo para o benefício da humanidade. 

O sol e a lua flutuam em suas órbitas e estão em um curso específico por um período específico de tempo.  O mundo ao nosso redor está cheio de sinais e as revelações são claras, para que não haja dúvida em relação ao nosso encontro com Deus na outra vida.  Deus encheu o universo com sinais para meditar e refletir. Existem rios, montanhas, frutas e plantas e o ciclo regular de noite e dia.  A terra está repleta de todo tipo de vegetação, todas regadas com chuva, mas algumas são de melhor qualidade.  Esses sinais são claros para aqueles que pensam.

Versículos 5 – 15 Deus conhece o óbvio e o invisível

Algumas pessoas fazem perguntas surpreendentes ao profeta Muhammad sobre se serão ou não ressuscitadas.  Estão destinados ao Inferno.  Desafiam o profeta Muhammad a apresentar a punição a qual se refere, ao invés de pedirem perdão a Deus.  Deus é pleno de perdão, mas também severo na punição.  Exigem um milagre à sua escolha, mas o profeta Muhammad é uma admoestador, nada mais.

Deus sabe tudo sobre nascimento e úteros. Sabe o óbvio e o oculto.  Falar em sussurros ou estar coberto pela escuridão não oculta nada Dele.  Cada pessoa tem dois anjos da guarda.  Deus não mudará a condição de um povo a menos que ele mude a si mesmo.  Se Deus tem a intenção de punir um povo, ninguém pode impedi-Lo.  A única proteção real é do próprio Deus. 

Deus mostra Seus sinais no céu. O trovão causa temor e esperança, nuvens pesadas cheias de chuva e trovão O exaltam e, ainda assim, podem atingir a quem Deus escolher.  Os descrentes disputam esses sinais.  A oração a Deus é a única oração verdadeira. Orar para divindades falsas não gerará resposta.  Tudo quanto existe nos céus e na terra se prostra para Deus, espontaneamente ou não.

Versículos 16 - 27 Quem são os crentes?

Diga aos descrentes que Deus é o Senhor dos céus e da terra.  Pergunte a eles por que adorariam outro além de Deus.  O cego e aquele que vê são iguais? A escuridão e a luz são iguais? Essas deidades falsas criam? Não! Deus cria.  Envia chuva e enchentes que transportam espuma como a espuma que se forma depois do metal derreter.  Esse é um exemplo da diferença entre verdade e falsidade.  A espuma desaparece, mas o que permanece é útil.  Aqueles que respondem a Deus terão uma recompensa excelente, enquanto que aqueles que não o fazem não serão capazes de negociar sua saída da punição que os espera.  Alguém que entende a verdade das revelações é igual a quem não entende? Aqueles com bom senso cumprirão os acordos que fazem em nome de Deus e temem a prestação de contas que virá.  Também oram, dão caridade do que Deus lhes proveu e combatem o mal com o bem.  Entrarão no Paraíso com suas famílias e os anjos lhes darão boas vindas em seu lar maravilhoso, mas os amaldiçoados se encontrarão em um lar terrível.  Essa vida terrena é curta comparada com a outra vida.

Versículos 28 - 30 Promessa de Deus

Lembrar-se de Deus e de Suas promessas excelentes tranquiliza o coração do crente.  Deus provê um belo lugar de descanso para aqueles que creem e fazem boas obras.  O profeta Muhammad foi enviado para sua própria comunidade para recitar o que Deus revelou.  Ainda assim, não creem.  Deus disse ao profeta Muhammad para responder aos descrentes.  Diga-lhes (é dito a ele) que Deus é teu Senhor, que não existe outro além Dele e que colocas tua confiança Nele, sabendo que serás retornado a Ele.

Versículos 31 – 34 Deus é Quem orienta

Se algum dia existisse uma recitação que pudesse mover montanhas, abalar a terra ou fazer os mortos falar, seria essa.  Deus comanda tudo e Ele podia ter guiado toda a humanidade, se fosse Sua vontade.  Os descrentes nunca estarão longe do desastre, até o fim quando a promessa de Deus será cumprida.   Você, Muhammad, não é o primeiro mensageiro a ser ironizado.  Apesar de os descrentes terem recebido uma trégua, receberam uma punição terrível.

Sabem que Deus observa cada alma e, ainda assim, insistem em associar parceiros a Ele.  Digam os nomes deles. Podem dizer algo que Deus já não saiba? Suas fantasias são feitas para parecerem desejáveis e o caminho deles para o Paraíso está fechado.  Deus os deixa desviados e não há ninguém que possa guiá-los para o caminho certo.  Quando a punição chega ninguém pode defendê-los de Deus.

Versículos 35 - 43 Um convite

Aqueles que se lembram de Deus terão uma recompensa que se parece com rios, frutos eternos e sombra.  Mas os descrentes não terão nada além do Inferno.  Aqueles do Povo do Livro (judeus e cristãos) que aceitaram o Islã se alegram com as novas revelações (Alcorão), mas alguns dentre eles negam parte do livro.  O profeta Muhammad deve dizer: "Fui ordenado a adorar a Deus e não associar nada a Ele. Convido-os para fazer o mesmo e a Ele retornarei." O Alcorão foi revelado em árabe e se o profeta Muhammad seguisse os desejos vãos de alguns de sua comunidade depois do conhecimento ter sido dado a ele, nada o protegeria da ira de Deus. 

Alguns dos mensageiros antes de Muhammad tinham esposas e filhos, mas nenhum tinha o poder de realizar milagres sem a permissão de Deus.  Em cada época houve um livro (ou revelação) e Deus confirma ou apaga o que deseja, porque Ele é a fonte.  É dito ao profeta Muhammad que ele pode não ver em sua vida a punição que os espera, mas que isso não importa. Sua tarefa é somente transmitir a mensagem.  É Deus quem chamará as pessoas para prestarem contas.  Não veem que Deus encolhe as fronteiras do que eles controlam? O plano de Deus supera todos os planos.  Se disserem a Muhammad que ele não é um mensageiro, então ele deve responder que Deus é a única testemunha da qual precisa.

 

https://www.islamreligion.com/pt/articles/11005/capitulo-13-ar-ra-d-o-trovao/

Navegação de Artigos:
<< Artigo Anterior || Próximo Artigo >>

Compartilhar esse Artigo:
Url
BBCode
HTML

Centro Islâmico de Taubaté © 2009-2018, todos os direitos reservados.
Rua Benedito Silveira Moraes, 221, Bairro Jardim do Sol - Taubaté - SP. CEP: 12070-290. Fones: (12) 3624-8602 / 3411-1940.
E-mail:
siteluzdoislam@gmail.com

2,892,446 visitas únicas

site desenvolvido por www.wsdbrasil.com.br

Powered by PHP-Fusion copyright © 2002 - 2018 by Nick Jones. Released as free software without warranties under GNU Affero GPL v3